Inscrições abertas para minicursos do CEPED/UFSC

A equipe do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres da Universidade Federal de Santa Catarina se preparou para participar da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia de 2011 (de 17 a 23/10), que, neste ano, vem com um tema muito adequado com nossa área de atuação: Mudanças climáticas, desastres naturais e prevenção de risco.

No contexto da Semana Nacional, vai ser realizada no campus da UFSC, a 10º Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão, Sepex, de 19 a 22 de outubro de 2011. Este é o principal evento de divulgação científica de Santa Catarina. Além do estande do CEPED UFSC com propostas interativas, que vai estar montado na tenda da ciência, a equipe preparou três minicursos:

Intervenção em áreas de risco por critérios geomorfológicos, geológicos e geotécnicos

  • Data e local: quarta, 19/10 (na Sala 301 do CCJ, Sala da Pós-Graduação), e quinta, 20/10 (na Sala 235 - Bloco A do CCE, Centro de Comunicação e Expressão).
  • Horário: Das 8h às 12h.

Descrição

Apresentar ao público a realidade dos Desastres Naturais que afetam áreas significativas do território brasileiro que ameaçam e colocam em risco o patrimônio e a segurança de seus habitantes. Pretende-se abordar os principais conceitos relacionados a desastres causados por movimentos de massa em Santa Catarina e outros estados da federação, através de métodos, experiências e intervenções em análise de áreas de risco, principalmente a movimentos de massa, com ênfase em aspectos geomorfológicos, geológicos e geotécnicos.

Conteúdo Programático

Proporcionar ao participante o entendimento sobre:

  • terminologia e classificação de riscos naturais;
  • generalidades dos movimentos de massa, tipos e processos envolvidos;
  • aspectos conceituais de inundação, processos e morfologia fluvial;
  • o uso das geotecnologias na prevenção de desastres naturais;
  • métodos de análise e mapeamentos de área de risco;
  • apresentação de experiências adquiridas pelas equipes de campo e pesquisadores do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres da Universidade Federal de Santa Catarina (CEPED UFSC);
  • Estudos de casos na Região Metropolitana de Florianópolis, Vale do Itajaí, SC e Região Serrana do Rio de Janeiro; e
  • Medidas mitigadoras geotécnicas.

Comunicação de Risco e Desastre

  • Data e local: quarta, 19/10 (na Sala 002 do CCJ, Centro de Ciências Jurídicas)
  • Horário: Das 18h às 22h

Descrição

Os eventos climáticos extremos estão se tornando cada vez mais frequentes, provocando danos e atingindo um número maior de pessoas em desastres por todo o mundo. No Brasil, a cultura de perceber e comunicar o risco de desastre ainda é incipiente tanto para a população quanto para os órgãos de comunicação. Estudos de Caso feitos a partir da cobertura da imprensa em desastres como o da região serrana no Rio de Janeiro, em novembro de 2011, e o que atingiu o estado de Santa Catarina em 2008, mostram como a percepção do risco de desastre pode contribuir para salvar vidas e diminuir danos e prejuízos. A comunicação comunitária e a imprensa são parte fundamental na construção de cidades mais seguras e populações mais preparadas para prevenir o risco e se preparar para o desastre. Estes são resultados de estudos realizados no Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres da Universidade Federal de Santa Catarina.

Conteúdo Programático

  • Conceitos básicos: Conceitos de risco, desastre, ameaça, vulnerabilidade, defesa civil, dano, prejuízo, plano de contingência, desenvolvimento sustentável, situação de emergência e estado de calamidade pública, conceitos ambientais. Documentos-chave na redução de riscos e desastres: Quadro de Hyogo, Política Nacional de Defesa Civil;
  • Percepção de Riscos - Comunicação de Riscos para a prevenção e preparação de desastres - Comunicação Comunitária;
  • A mídia e os desastres: Publicidade, cinema, jornalismo, literatura: Criando o pânico;
  • A atuação da imprensa na cobertura de desastres Cobertura de desastres no jornalismo brasileiro O jornalismo e as ações de redução de risco e desastre (de acordo com o Quadro de Hyogo e as diretrizes da ONU): Prevenção, Preparação, Resposta e Reconstrução;
  • A comunicação em situações de emergência A comunicação na gestão de risco e desastre: Estudo de caso. A participação da imprensa na gestão de risco e desastre: Estudo de caso.

Psicologia e Desastres: gestão de risco, prevenção e mobilização comunitária

  • Data e local: sexta, 21/10 (na Sala 002 do CCJ, Centro de Ciências Jurídicas)
  • Horário: Das 8h às 12h

Descrição

Nos últimos anos aumentou o número de ocorrências de desastres no Brasil e, consequentemente, o número de pessoas afetadas. A necessidade de desenvolver ações de prevenção e mobilização comunitária junto às populações que residem em áreas de risco, para reduzir os riscos de desastres, reforça a relevância do envolvimento da Psicologia e áreas afins nessa temática. Estes são resultados de estudos realizados no Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres da Universidade Federal de Santa Catarina. O objetivo do minicurso é debater aspectos relacionados aos riscos de desastres. Introduzir discussão entre psicologia e desastres, com foco em prevenção e Redução de Riscos; conhecer fatores relacionados à percepção de riscos e mobilização comunitária.

Conteúdo Programático

Aspectos sociais do risco, percepção de riscos, comunicação de riscos, mobilização comunitária, redução de riscos

Inscrições

As inscrições para os minicursos da 10º Sepex são feitas pelo site http://inscricoes1.sepex.ufsc.br/. Para esta edição a organização da Sepex está cobrando uma taxa de R$10 para cada inscrição. Para pagar a taxa, o site disponibiliza a impressão de um boleto bancário. O comprovante deve ser apresentado no dia do minicurso, quando será encaminhado para a organização da Sepex para a emissão do certificado emitido pela UFSC.

A TV Daqui visitou a cidade de Ilhota, Capital Catarinense da moda íntima e praia Bhabby Sá conversou com o coordenador da Defesa Civil Paulo Drun e o secretário de Turismo Lauri Adão Junior. Confira o vídeo neste post.

FGTS: prefeitura divulga lista dos que têm direito a retirar o benefício

Vila Nova, Centro, Missões, Pedra de Amolar, Pocinho, Barranco Alto, Barra de Luiz Alves, Ilha Bela, Baú Central, Alto Baú e Braço do Baú. Estes foram os bairros mais atingidos pela última enchente em Ilhota. E são os moradores destas localidades, diretamente afetados, que terão o direito de sacar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A lista com os beneficiados (abaixo) foi divulgada pela Defesa Civil nesta semana.

O coordenador, Paulo Drun, destaca que, se a casa de algum morador foi atingida e não está nesta lista, ele deve entrar em contato com o departamento para que a prefeitura faça uma vistoria em sua residência. “Se for constatado veracidade no fato, ele entrará nesta lista e poderá sacar o benefício”, explica. O prazo se encerra na terça-feira (11).

O cronograma de pagamento deve ser divulgado pela caixa a partir do dia 17 deste mês. Os moradores de Ilhota tem direito ao saque de até R$5,4 mil.

Confira a relação dos endereço clicando neste link.

Semana Nacional de Redução de Desastres

http://www.defesacivil.gov.br/imagens/fundo1.png

Instituída pelo Decreto de 26 de setembro de 2005, a Semana Nacional de Redução de Desastres, comemorada na segunda semana de outubro de cada ano, é destinada a aumentar o senso de percepção de risco da sociedade brasileira, mediante a mudança cultural da população relacionada à sua conduta preventiva e preparativa, principalmente das comunidades que vivem em áreas de risco.

Cabe ao Ministério da Integração Nacional, por meio da Secretaria Nacional de Defesa Civil, coordenar as comemorações da Semana Nacional de Redução de Desastres, que acontece no período de 10 a 15 de outubro de 2011, e que contará com a realização de diversas atividades.

Confira a programação

10/10 - Apresentação das Publicações da EIRD em português: A tradução de duas  publicações da Estratégia Internacional para a Redução de Desastres (EIRD/ONU), que estão disponíveis no site da campanha, auxiliarão no processo de capacitação, na difusão do conhecimento sobre riscos e serão, principalmente, uma significativa contribuição da SEDEC ao Sistema Nacional de Defesa Civil, tendo em vista a carência de publicações em português. Outras publicações estão em processo de tradução e serão disponibilizadas em breve.

10/10 - Lançamento da Campanha Construindo Cidades Resilientes, da Estratégia Internacional para a Redução de Desastres (EIRD), da Organização das Nações Unidas (ONU). Iniciativa da Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec) tem como objetivo convencer gestores públicos locais a cumprirem uma lista de 10 passos essenciais para construir cidades resilientes. Conheça a campanha. (em manutenção)

10/10 - Lançamento do Curso de Capacitação Básica em Defesa Civil para 2.000 agentes de defesa civil e agentes comunitários de saúde na modalidade de ensino a distância. Faça já sua inscrição (http://www.ceped.ufsc.br/cursos-e-eventos/capacitacao-basica-em-defesa-civil ).

11/10 - Realização do Seminário Interno para servidores da SEDEC.

13/10 - Realização do Workshop Interno da Campanha Construindo Cidades Resilientes, que formará 10 (dez) servidores da  SEDEC para serem agentes promotores da campanha e auxiliar no convencimento dos gestores municipais a cumprirem uma lista de 10 passos essenciais para construir cidades resilientes.

11 e 12/10 - Realização de Capacitação em Emergências para Radioamadores - CAER no município de Teresópolis/RJ, com palestras para os integrantes da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil e para os radioamadores visando à implantação da RENER no município.

15/10 - Realização de simulados de preparação para desastres nas cidades de Petrópolis e Nova Friburgo, região serrana do Rio de Janeiro, fortemente afetadas por desastres no início deste ano.

Ilhota é contemplada com recursos do Ministério para obras de prevenção a enchentes

http://www.defesacivil.sc.gov.br/images/zoom/OJRYXR/viewsize/Defesacivilcorel12.jpg

O Ministério da Integração Nacional investe em Santa Catarina mais de R$ 73 milhões para obras de prevenção de enchentes até 2013. Na lista estão obras de contenção e canalização de rios, drenagem urbana, desassoreamento, canalização de ruas, substituição de pontes, pavimentação de ruas e galeria de águas pluviais.

Os recursos são provenientes do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC). As construções irão beneficiar 226.720 pessoas em sete cidades catarinenses.

Veja a lista das obras:

ILHOTA

Drenagem pluvial do Complexo do Baú

População Beneficiada: 2.000 pessoas.

Característica: Drenagem e pavimentação.

Valor União: R$ 2.644.413,08.

TIMBÓ

Macrodrenagem e proteção das margens de rios e ribeirões

Características: Contenção do rio Pomeranos, galerias pluviais.

População Beneficiada: 2.000 pessoas.

Liberado em 2011: R$ 1.494.882,53.

Valor total (União): R$ 4.789.765,07

POMERODE

Recuperação do sistema de drenagem e de rio

População Beneficiada: 25.200 pessoas.

Características: Drenagem, pavimentação, contenções e desassoreamento.

 Liberado em 2011: 1.491.936,65. 

Valor total (União): R$ 4.783.873,30.

NAVEGANTES

Drenagem e controle de inundação

População Beneficiada: 58.000 pessoas.

Características: Canalização de ruas.

Liberado em 2011: R$ 5.880.982,80.

Valor total (União): R$ 21.404.850,00.

LUIZ ALVES

Drenagens pluviais do Complexo Serafim-Bugre-Francês

População Beneficiada: 2.500 pessoas.

Característica: Drenagem, substituição de pontes e pavimentação de ruas.

Liberado em 2011: R$ 972.865,20.

Valor total (União): R$ 2.918.595,60.

JOINVILLE

Macrodrenagem da vertente da rua Noruega

População Beneficiada: 7.200 pessoas.

Característica: Drenagem urbana.

Valor total (União): R$ 4.084.422,63

BLUMENAU

Macrodrenagem na bacia do Ribeirão Velha

População Beneficiada: 70.000 pessoas

Característica: Galeria de águas pluviais.

Valor da União: R$ 8.835.000,00

Macrodrenagem na bacia do Ribeirão Itoupava

População Beneficiada: 20.450 pessoas

Característica: Galerias de águas pluviais.

Valor da União: R$ 7.315.000,00

Macrodrenagem na bacia do Ribeirão Garcia

População Beneficiada: 39.370 pessoas

Características: Galerias de águas de pluviais, melhoria do escoamento do Ribeirão Garcia.

Valor da União: R$ 16.435.000,00

Fonte: Secretaria Nacional de Defesa Civil

Capacitação Básica em Defesa Civil

http://www.defesacivil.sc.gov.br/templates/defesacivil_interno/images/Cabecalho.jpg

Estão abertas as pré-inscrições para o curso Capacitação Básica em Defesa Civil. São 2 mil vagas para o curso EaD, Ensino a Distância, com previsão de início para novembro de 2011. Os interessados devem fazer sua pré-inscrição até 25 de outubro. Após as pré-inscrições, caso haja um número maior de interessados que vagas, haverá uma seleção, portanto a pré-inscrição não garante a vaga. 

Fonte: CEPED UFSC

A Capacitação Básica é destinada para agentes de defesa civil, e seu conteúdo ressalta aspectos relevantes para promover a difusão da cultura de redução de risco de desastre.

As pré-inscrições serão confirmadas através do e-mail cadastrado. O curso completo tem carga horária total é de 30 horas/aula, a serem cumpridas em 45 (quarenta e cinco) dias corridos, é gratuito, e fornece certificado pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Faça sua pré-inscrição preenchendo o formulário neste link.

O curso dispõe de um Ambiente Virtual de Aprendizagem, AVA, no qual o aluno tem acesso a todo o conteúdo, organizado em:
- 2 teleconferências;
- 2 vídeoaula;
- 1 livro-texto digital, em formato PDF;
- Serviço de Tutoria e atendimento telefônico gratuito 0800 para comunicação entre tutores e alunos.

O curso é gratuito e promovido pela Secretaria Nacional de Defesa Civil, do Ministério da Integração Nacional, em parceria do CEPED UFSC.

Local: AVA, Ambiente Virtual de Aprendizagem

BADESC ajuda empresas atingidas pela enchente

http://nickmartins.com.br/atualidades/wp-content/uploads/2010/03/badesc.jpg

Devido a grande quantidade de empresas de Santa Catarina que foram atingidas pela enchente deste mês, o Banco de Desenvolvimento Econômico de Santa Catarina (Badesc) decidiu instituir o programa “Badesc/Emergencial”, que tem como objetivo atender à eventuais catástrofes naturais ocorridas no estado, nas cidades com decreto de Calamidade Pública ou Emergência. Ilhota está contemplada nesta última categoria. Por este motivo, a secretaria de Indústria e Comércio participou de uma palestra da instituição para repassar todas as informações necessárias aos empresários da cidade.

De acordo com o responsável pela pasta, Paulo Vilmar Batista, mais conhecido como Expresso, o financiamento poderá ajudar muitas empresas. “Os juros serão de: 9% a.a., mais a TJLP (6 % a.a.). O prazo é de até 12 meses de carência e 36 meses de amortização, totalizando 48 meses para as que foram diretamente atingidas, comprovando através de atestado da Defesa Civil”, ressaltou.

Já para as empresas que foram indiretamente ou parcialmente atingidas, os juros serão de 10% ao ano, mais a TJLP de 6% ao ano e um prazo de 12 meses de carência e 18 de amortização, totalizando 30 meses. “O programa BADESC/Emergencial contempla financiamentos entre R$30 mil e R$500 mil,  com enquadramento de três a quatro vezes a média do faturamento fiscal dos últimos 12 meses. As garantias são constituídas de 100% do valor do financiamento, podendo ser veículos ou imóveis de propriedade da empresa, dos sócios ou de terceiros, desde que livre de ônus”, explica.

Para ter acesso ao financiamento, a empresa deve entrar em contato com o Badesc. A instituição fica na rua Dr. Amadeu da Luz, nº. 100 - Ed. Califórnia Center, 1º andar, sala 101, Centro, Blumenau. Mais informações também podem ser obtidas através do site www.badesc.gov.br.

Ilhota recebeu reunião do Conselho de Desenvolvimento Regional

 

Ilhota será o município sede da 88ª reunião ordinária do Conselho de Desenvolvimento Regional nesta sexta-feira (16). O encontro será no Salão Paroquial (Rua Leoberto Leal, s/n - em frente à prefeitura), com início às 9h30. Na pauta estão 7 projetos para análise nas áreas de cultura, esporte, saúde e social.

A ordem do dia prevê a abertura dos trabalhos com formação de mesa; pronunciamento do presidente; informes - SDR, CDR e justificativas; aprovação da ata da 87ª Assembléia Ordinária; posse de novo conselheiro; votação de processos/projetos e assuntos gerais.

Conselho Regional

O Conselho de Desenvolvimento Regional conta com quatro conselheiros de cada município que compõe a Regional. O órgão conta ainda com a presença de um representante da Secretaria de Estado da Fazenda e três representantes da Secretaria de Segurança Pública e Defesa do Cidadão e é presidido pelo secretário de Estado de Desenvolvimento Regional de Blumenau.

Uma das atribuições do Conselho Regional é a aprovação de recursos estaduais para a realização de projetos em todas as áreas. Todos os investimentos do Governo do Estado na região de abrangência da Secretaria Regional de Blumenau precisam passar pela análise dos conselheiros. Esta é uma oportunidade de participação direta de representantes da comunidade no gerenciamento do recurso público.

As reuniões do CDR são mensais, abertas para a comunidade e ocorrem de forma itinerante entre os cinco municípios da região de abrangência da Secretaria Regional: Blumenau, Gaspar, Ilhota, Luís Alves e Pomerode. Mais informações sobre o CDR podem ser acessadas pelo site  http://www.bnu.sdr.sc.gov.br/

Mais informações

Secretaria Regional: fone/fax (47) 3324-9000 / E-mail: sdr-blumenau@bnu.sdr.sc.gov.br
Ass. de Comunicação: fone 
(47) 8804-5211
 / E-mail: imprensa@bnu.sdr.sc.gov.br 
Site da secretaria: www.sc.gov.br/sdrblumenau
Site do Governo: 
http://www.sc.gov.br/

Prefeitura trabalha na reconstrução após enchente

 

http://www.ilhota.sc.gov.br/arquivosdb/a9_thumbs/noticias/resize/700/255255255/0.332902001316003119_dscf0017c.jpg

As máquinas da prefeitura já estão trabalhando desde domingo  (11) na reconstrução da cidade. O trabalho se concentra principalmente na retirada de entulhos, limpeza de ruas e colocação de macadames. O tempo bom, segundo o secretário de obras, Valdir Augustinho da Silva, tem ajudado na recuperação. “Já conseguimos atuar nas margens direita e esquerda. “Agora estamos efetuando melhorias na Pedra de Amolar. Até amanhã devemos finalizar”, explicou.

Segundo o coordenador da Defesa Civil, Paulo Drun, cerca de oito mil pessoas foram afetadas. Mais precisamente: 8.764. Ao todo, 401 estão desalojados; 300 desabrigados; 907 deslocados; e oito enfermos. “No que tange as residências, 263 foram danificadas, sendo três públicas e uma comunitária”. Das instituições públicas, duas eram escolas, a Alberto Schimitz (Baú Central) e Pedro Teixeira de Mello (Alto Baú). Os educandários foram atingidos por enxurrada. Segundo o secretário de educação, Raul dos Santos, duas ainda tiveram atos de vandalismo. Trata-se da Domingos José Machado (Ilhotinha) e o CEI Vó Rosa. “Já estamos fazendo o levantamento dos prejuízos. As aulas estão acontecendo normalmente em todos as unidades escolares, desde esta terça-feira (13)”.

No auge da enchente, três abrigos foram ativados: dois no bairro Pedra de Amolar e um no Centro. “Felizmente, as pessoas já conseguiram retornar para as suas casas. E está tudo bem. Temos apenas sete famílias mo abrigo da Pedra. Fizemos o que foi necessário”, ressalta a secretária de assistência social, Rosi Voltolini. Na oportunidade, entre profissionais da defesa civil, saúde, assistência social e outros departamentos, trabalharam mais de 50 pessoas.

Os prejuízos ainda não foram somados. A defesa civil está fazendo o levantamento. O relatório final deve sair na próxima semana. O que pode-se adiantar, segundo Paulo Drun, é que vai demorar pelo menos seis meses para se recuperar todos os bairros afetados. “Cerca de 70% da população foi afetada pelas chuvas. Agimos rápido e a tragédia não foi maior. A experiência de 2008 nos deixou mais preparados para enfrentar problemas de grande magnitude”.

A tragédia no Complexo do Baú não foi ainda maior, de acordo com o prefeito Ademar Felisky, devido a construção de galerias, pontes e pontilhões, colocação de tubulação e dragagem dos ribeirões. “As águas foram canalizadas e os estragos, desta forma, foram muito menores do que em 2008”, enfatiza. “Vamos continuar trabalhando e reveremos as cotas de enchente para garantir que todos os acessos estejam livres em outras enchentes”.

A balsa não está funcionando ainda devido a correnteza do rio. A previsão é que ela volte a funcionar nesta quinta (15) pela manhã.

Canais da Defesa Civil:

Fundação Cultural de Ilhota promove evento beneficente em prol das vítimas da enchente

http://www.ilhota.sc.gov.br/arquivosdb/a9_thumbs/noticias/resize/700/255255255/0.686158001316708092_folder_prol.jpg

Mais uma vez a cidade de Ilhota sofreu com a cheia do rio Itajaí-Açú. No início de setembro, uma enchente atingiu o município, deixando alguns bairros completamente debaixo d´água. Muitas pessoas perderam a compra do mês e todos os móveis da sua residência. Sensibilizados com a situação, a Fundação Cultural de Ilhota, juntamente com o Grupo de Dança Adriana Alcântara, promoverão no dia 29 de setembro uma “Noite da Dança Solidária”. O evento acontecerá a partir das 20h, no Teatro Municipal de Itajaí.

O espetáculo será dividido em duas partes. Na primeira haverá atrações do Núcleo Experimental de Dança Contemporânea do bailarino e coreógrafo Fernanado Alcântara Dalla Nora. Já na segunda, o Grupo de Dança Adriana Alcântara apresentará coreografias de diversos gêneros: jazz, dança de salão, do ventre e ballet clássico. “Os bailarinos são todos voluntários que se uniram para esta ação beneficente”, explica o superintendente Rui Max.

A entrada será dois quilos de alimento ou um galão de água de cinco litros. O que for arrecadado será distribuído aos que foram atingidos pela tragédia no bairro Pedra de Amolar.